Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog Novas Ideias

Quem disse que só tem um jeito?

Blog Novas Ideias

Quem disse que só tem um jeito?

Participe do Movimento contra o Linfoma (@movlinfoma)


@wesleytalaveira Câncer é uma palavra que assusta. Mas, quanto mais cedo for diasgnosticado, maiores são as chances de cura. Por isso diversas campanhas tem surgido orientando os brasileiros na prevenção.

Uma dessas campanhas é o Movimento Contra o Linfoma. Linfoma é um tipo de câncer que surge no sistema linfático, responsável pela defesa do organismo contra infecções. Pode ocorrer em qualquer pessoa, mas é na adolescência, entre os 15 e os 19 anos, que acontece o maior número de casos. A principal característica da doença é o aumento dos gânglios da garganta, axilas e virilha, muitas vezes vistos a olho nu. Ainda não se sabe como prevenir. Por isso o auto-exame é fundamental para que a pessoa note essas diferenças no seu corpo e procure um onco-hematologista, médico especialista desta área. Assim, quanto antes o linfoma for diagnosticado, maiores as chances de cura.

Veja o vídeo da campanha:

Se toca! Quanto antes você descobrir, melhor!

Mais informações no Site do Movimento.

Escolhendo entre a palhaça e o palhaço



@andresantos_mg: E no final das contas, sobraram mesmo pra gente escolher a representante disso que já está aí, e o representante daquilo que estava aí antes.

Enquanto o eleitor escolhe entre a cruz e a cimitarra, os dois dedicam-se a seu esporte favorito: fazer o eleitor de palhaço.

O que Dilma e Serra ainda não perceberam é que o eleitor anda de saco cheio do festival de tolices que os dois andam dizendo. A propaganda eleitoral de Dilma não vai além das tentativas de semear terror, dizendo que Serra não cumpre o que promete, que não termina mandato, que tem amigos corruptos. A propaganda eleitoral de Serra não vai além das tentativas de semear terror também, dizendo que Dilma não tem experiência, que não tem história e que tem amigos corruptos. Percebeu? Acusações de lado a lado, e no fundo é tudo a mesma coisa.

As acusações e métodos do PT hoje não são em nada diferentes das acusações e métodos do PSDB noutros tempos. Na verdade, as quadrilhas petistas e tucanas apenas trocaram de lugar. Uma se instalou no Planalto, a outra quer voltar pra lá. Eles não são capazes sequer de ir a um debate apresentar ideias e argumentos. Querem mesmo é fazer o maior espetáculo de terror possível, e tocar um terror na alma do eleitor. Só isso. Pra que discutir política e apresentar soluções, projetos... se na verdade o que esses candidatos querem mesmo é ressuscitar os áureos tempos da baixaria a la Ratinho?

Então, sendo muito sincero e franco, esses dois palhaços que disputam a presidência e representam modelos administrativos que a gente já conhece a tempos tem mesmo é que aproveitar a onda, já que pelo visto eles conseguiram. Lutaram pra polarizar tudo entre eles, e se livrar de alternativas decentes. Conseguiram. Só sobraram os dois. No final das contas, eu temo que eles dividam entre si o espólio desta campanha, e quem pague a conta de tudo isso seja você, eu e todo mundo que vive nesse país que deveria repudiar visceralmente dois candidatos que acham que o povo é idiota, e que em vez de fazer campanha de verdade, querem apenas fazer teatrinho pra impressionar. Pensando bem, acho que vou rever este texto antes de publicar, já que chamar Dilma e Serra de palhaços ofenderia a classe dos palhaços, excetuando-se o Tiririca, mais novo palhaço a cair de paraquedas na política. Que me desculpem os palhaços! E que nasça nesse país o espírito francês, ou qualquer outro que faça o povo ir as ruas, porque aceitar isso de braços cruzados vai demandar muito antiácido.

Consciente Coletivo, por @institutoakatu


Apartir da próxima semana, o Blog Novas Ideias trás os vídeos da série Consciente Coletivo, do Institudo Akatu.

Em 10 episódios, a série Consciente Coletivo faz reflexões, de forma simples e divertida, sobre os problemas gerados pelo ritmo de produção e consumo de hoje. Entre os assuntos estão sustentabilidade, mudanças climáticas, consumo de água e energia, estilo de vida, entre outros, que permeiam o universo da consciência ambiental. O projeto é uma parceria entre o Instituto Akatu, Canal Futura e a HP do Brasil.

Todas as quartas, um vídeo novo estará aqui no Blog Novas ideias. Se você já viu os vídeos no site do Instituto Akatu ou no Canal Futura, reveja, pois são bastante interessantes. Se ainda não viu, eis a oportunidade de conhecer esse trabalho interessantíssimo.

Flagras: lixo na rua em São Paulo

Em plena metrópole paulista, cidade mais rica do Brasil e uma das mais ricas do mundo, o lixo na rua é prova de que responsabilidade ambiental ainda é coisa distante.


Viaduto do Glicério, centro de São Paulo

Região da Barra Funda, zona oeste de SP

Heliópolis, zona sul de SP


Esquina da Avenida São João com Alameda Glete, centro de SP

Quer denunciar pontos de descarte irregular de lixo na sua cidade? Mande uma foto pra gente. Envie por email pra contato@blognovasideias.com.br Ou coloque no Twitpic e envie o link pra gente no @blognovasideias ou @wesleytalaveira


PS: Nem todas as fotos acima são recentes. Foram usadas pra ilustrar a situação da limpeza pública em SP, que continua igual.

Hebe Camargo, Zé Bonitinho e o Brasil dos oitentões

Hebe Camargo, a gracinha do Brasil

@wesleytalaveira - No alto de seus 81 anos, Hebe Camargo, apresentadora do SBT esbanja força e vitalidade. Dona Arlette Pinheiro, a Fernanda Montenegro dona das empresas Gouveia da novela, é outra octogenária que está firme e forte em seu papel na novela da Globo. Senor Abravanel, o Silvio Santos dono do Baú, da Jequiti e do SBT, vai completar 80 anos com a mesma empolgação de quando tinha 30. Jorge Loredo, o Zé Botininho da Praça é Nossa, continua encantando mulheres gostosas com seu papel em plenos 85 anos de idade e, como se não bastasse, voltou a atuar em filmes. O senhor Ariclenes Venâncio Martins, vulgo Lima Duarte, manda e desmanda na novela da Globo independente de seus 80 anos. Ary Fontoura, o prefeito Florindo Abelha de Roque Santeiro está a 3 anos de fazer companhia a Lima Duarte. Nessas eleições, assistimos o candidato do PSOL Plínio de Arruda, com 81 anos fazer vergonha a muitos candidatos de 40. Isso porque nem citei o Niemeyer...

Jorge Loredo, o eterno comedor de gostosas da Praça é Nossa

Esses são apenas alguns exemplos do que todos os dias a gente vem constatando nas ruas: o Brasil está se tornando um país velho. Não, não no sentido de ultrapassado, no sentido literal, mesmo. Nossa população está envelhecendo. Nos últimos anos, segundo o IPEA, a expectativa de vida do brasileiro saltou de 70 anos para 73,1. Ou seja, os velhos estão vivendo mais (basta olhar as noites de domingo e segunda feira do SBT para ter certeza plena disso). Os velhos que estão no mercado de trabalho saltaram de 7,9% em 1992 para 11,3%, em 2009. Ou seja, os velhos de hoje estão trabalhando mais. E não é preciso nenhuma pesquisa para descobrir que os velhos de hoje estão mais fortes, mais saudáveis e mais dispostos que os velhos de anos atrás. Um homem de 60 anos em 1992 e um homem de 60 anos hoje são completamente diferentes.

Esse envelhecimento da nossa população coloca em evidência duas questões a serem trabalhadas pelos próximos governos. Uma delas, imprescindível e muito falada pelos nossos caríssimos políticos, mas pouco praticado, de fato, é a questão das políticas públicas para velhos. Nossas cidades não estão preparadas para receber os velhos. O sistema de saúde no Brasil, diferente do que vem sendo mostrado nas propagandas, é precário. Todos os dias as TVs, em seu jornalismo mundo-cão, mostram pelo menos 1 velho que morreu em filas de hospital pelo país - e nesse quesito o Nordeste, tão querido pelo Governo, é campeão. Faltam médicos, faltam enfermeiros praparados para lidar com velhos, resultando num desrespeito criminoso, muitas vezes fatal. Não é raro ouvirmos falar de velhos que sofrem nas mãos de enfermeiros carniceiros, desumanos, que agridem idosos sem qualquer motivo - isso é, se é que há motivos para se agredir um idoso.


Ainda na questão das políticas públicas, outro problema está muito em evidência: como já disse, muitos velhos veem seus dias passaram de uma forma muito saudável. São pessoas fortes o suficiente para continuar no mercado de trabalho. Mas esse mercado, que mal consegue absorver os jovens recém - formados, não consegue empregar as pessoas que, embora cheias de experiência e saúde, "passaram da idade". Eu mesmo conheço pelo menos umas 7 pessoas na casa dos 55 anos que não conseguem mais emprego sempre pelo mesmo motivo: a idade. Como mudar isso?

Para resolver esse problema, nosso Governo precisaria mexer na segunda questão que fica em destaque com o envelhecimento da população brasileira: o sistema de Previdência. Apesar de o governo esconder isso, o Brasil está à beira de entrar num colapso financeiro por conta da Previdência. Entre janeiro e agosto desse ano, a Previdência viu seu déficit ir parar nos R$ 30 bilhões, mesmo com o aumento de empregos com carteira assinada. Motivo: mais gente está se aposentando. Gente forte, saudável, que teria condições o suficiente de continuar trabalhando está partindo para o lado dos aposentados, e isso está estourando o orçamento. A solução seria uma medida importante, mas capaz de destruir a carreira de qualquer político: rever a idade mínima para se aposentar. A França, mesmo sob protestos violentos, está aumentando a idade mínima de aposentadoria de 60 para 62 anos. O Japão, apartir de 2013, vai aumentar essa idade de 60 para 65. E no Brasil ainda não há NENHUM projeto que tente reverter esse quadro. Uma mudança na política da Previdência no Brasil, aliada à políticas que incentivem a contratação de pessoas com mais de 50 anos seria, se não a solução, um caminho para pelo menos diminuir esse déficit que, ao longos dos anos, pode ter o poder de quebrar o Brasil.


O segredo de tudo é termos a visão de que os velhos não podem mais ser vistos como pesos para a sociedade, nem como aqueles que não servem para mais nada a não ser pagar contas no banco sem enfrentar fila. Nossos velhos merecem todo o respeito e cuidado que se der a eles, e nisso se inclui pensar um país que os acolha de forma sustentável.

Obrigado, Marina (@silva_marina)!



@andresantos_mg: Obrigado, Marina. Eu lhe agradeço de coração...

Dentre os grandes serviços prestados a este país, Marina Silva pode orgulhar-se pelo mais recente: sua candidatura a presidência da república. Marina nos fez um favor, mostrando que não existe só uma alternativa. Nos mostrou mais, quando colocou a disposição do eleitor um projeto diferente do que está aí, onde o eleitor poderia encontrar mais do que no binômio PT-PSDB, que na minha franca opinião tem muito mais semelhanças do que diferenças.

Enfim, não disposto a perder tempo falando desta dupla cancerígena, melhor continuar focado no agradecimento a Marina Silva, que ao candidatar-se a presidência mostrou a possibilidade do país procurar uma alternativa. Toda eleição acaba polarizada entre o que está aí e o que estava antes. O que está aí dedica-se fervorosamente a mostrar a poeira debaixo do tapete de quem estava aí. Quem estava pratica o mesmo esporte. E no final das contas, tanto faz, o resultado é o mesmo. Brasília continua sendo a Meca da corrupção, os partidos políticos continuam servindo de lixeira onde a corja política se esconde, reaparecendo de quatro em quatro anos, e segue a vida.

Marina também mostrou que é hora de o governo acordar para as questões ambientais, antes que o país comece a comer o pão que a poluição fermentou. Mostrou ainda que não é preciso vender a alma ao diabo, fazendo as parcerias mais pornográficas, procurando ganhar espaço em programa eleitoral, ou garantir um pedacinho de governo pra si ou pra seu partido. Apontando alternativas ecologicamente corretas e sem prostituir seu partido e sua biografia com parcerias demoníacas, Marina deu ao Brasil uma enorme contribuição: mostrou uma nova forma de ver, pensar e fazer política. Hoje, agradecemos este enorme serviço prestado a nação. Esperemos que em breve, agradeçamos por meio do voto, expurgando as correntes políticas podres que infestam tanto o que está aí, quanto o que esteve antes, e dando ao país uma possibilidade de futuro decente e comprometido.

E o planeta que se foda!


@wesleytalaveira - Num dia comum como qualquer outro, dona Solange chega em casa e encontra suas filhas Estefany e Lorraine brincando dentro de casa. Elas brincavam com pequenos frascos com um líquido prateado cheio de bolinhas que haviam encontrado na rua. Passados alguns dias, as duas meninas passaram a apresentar febre alta, diarreia, vômito e irritações na pele. Quando foram levadas ao médico, foi confirmado: elas haviam sido contaminados por mercúrio. Dona Solange se assustou, pois mal sabia o que era esse tal mercúrio. Lembrou do frasco com o líquido prateado que as meninas haviam encontrado na rua e concluiu: aqueles frascos continham mercúrio. Como as duas meninas levaram os frascos para a escola para mostrar aos colegas, o resultado foi desastroso: mais de 100 pessoas tiveram contato com mercúrio, e duas crianças com contaminação séria e riscos de danos neurológicos irreversíveis. Dona Solange teve de sair da própria casa, que foi interditada pela CETESB.

Isso aconteceu na pequena cidade de Rosana, no interior de São Paulo, divisa com Mato Grosso do Sul. Os 20 frascos encontrados pelas duas meninas (um total de c erca de 1,5 kl de mercúrio) estavam em um terreno baldio usado pela prefeitura da cidade como local para descarte de entulho. A prefeitura foi multada em R$ 82.116,42 e o terreno também foi interditado pela CETESB. "Pela quantidade, deve ser de uma clínica particular", se explica o responsável pela prefeitura. E muito provavelmente vai ficar por aí.

Esse caso expõe um problema totalmente ignorado por boa parte dos brasileiros: o descarte de material tóxico. Aliás, o brasileiro mal sabe quais materiais podem e não podem ir para o lixo comum. As cidades brasileiras não tem a menor estrutura para receber esse material, que está presente em casa na bateria de celular, no termômetro, na lâmpada fluorescente, nas pilhas e que acabam indo parar no lixo comum. Não há qualquer política de recebimento desse tipo de material, sequer existe alguma política de orientação aos cidadãos quanto ao cuidado com esse tipo de material. Algo como "que se foda o lixo, não é problema meu".

Lixo tóxico é um "prerigo". PRE - RI - GO

Em época de eleição, seria bom que assuntos importantes como esses fossem tratados, que os dois candidatos que aí estão mostrassem sua preocupação com o descarte do lixo, tanto o lixo comum como o tóxico. Ah, mas espere um pouco: o assunto das eleições agora é saber quem é mais religioso, quem consegue o apoio do pastor mais influente, e o planeta que se foda (o terceiro palavrão num único post, em homenagem à política brasileira).



Psoríase: quem tem sabe o que é


@wesleytalaveira - Tá, muita gente ficou com uma enorme interrogação na cara com o título do post. Afinal a grande maioria das pessoas sequer sabia que existia essa palavra. Psoríase é uma doença autoimune (ou seja, o sistema imunológico passa a atacar as células sadias do próprio organismo) que se manifesta com lesões na pele. Essas lesões, que aparecem como manchas com casca ou simplesmente manchas vermelhas, começam geralmente nos cotovelos e couro cabeludo e, se não forem cuidado, podem se espalhar pelo corpo inteiro. Teoricamente não tem cura, mas o tatamento ideal pode dar um resultado bastante positivo. Não se existe certeza sobre o que causa a psoríase. Alguns casos podem ser de procedência genética, outros acontecem num momento de muito stress ou trauma psicológico de uma pessoa. Mas não existe um motivo específico.

Fisicamente o efeito da psoríase é mínimo, já que as lesões não coçam, não se irritam e nem são contagiosas. Mas os efeitos psicológicos podem ser enormes. Quer saber quais são os efeitos? Se imagine com o corpo coberto de lesões com casca, e todos te olhando torto perguntando "o que é isso?". Você precisa explicar mil vezes o que é psoríase, que "não, não é irritação do sabonete, nem alergia do hidratante". Você olha onde está sentado e o chão está coberto de casquinhas que caem das lesões. Aos poucos, começa a notar que os colegas na faculdade se afastam de você, te evitam, ou com nojo das lesões, ou com medo de ser contagioso (o que, como eu já disse, não é). Aos poucos, você começa a preferir roupas compridas, como calça e camisa de manga longa, para esconder as lesões que tomam todo o corpo (nos casos mais críticos), mas elas logo aparecem no rosto. Aí não tem como esconder. Você começa a ter vergonha de sair na rua. Até comprar o pãozinho na padaria vira uma tormenta, pois sabe que todo mundo vai olhar para você. Começa a se sentir péssimo, com vergonha do próprio corpo. Começa a evitar as pessoas. Conseguiu se imaginar? Qual seria o resultado disso tudo? No mínimo, uma bela depressão.


 
Falo isso tudo porque eu tenho psoríase. Ja passei pela fase crítica e agora estou em tratamento, mas as lesões praticamente sumiram (exceto uma e outra nas pernas e nos braços). E a situação que contei acima foi exatamente a que eu vivi nos últimos 4 anos. Não sei exatamente o porque as lesões apareceram (aliás, sei. Mas prefiro nao dizer), mas passei por todas etapas possíveis da doença. Até que comecei a fazer tratamento com um medicamento forte, mas ideal para o meu caso.

No próximo sábado, dia 23, clínicas e instituições no mundo inteiro irão realizar eventos pelo Dia Mundial da Psoríase. Em São Paulo, o médico e vereador Gilberto Natalini e a Clínica Sabbag vão realizar na Câmara dos Vereadores palestras e eventos especiais com o objetivo de, principalmente, quebrar o preconceito. Quem quiser, vale a pena participar, mesmo que seja pra conhecer melhor a doença.

Todo e qualquer tipo de preconceito, além de burro, é prejudicial. Pense nisso.

Pra que serve o horário de verão?


@wesleytalaveira - Começou nesse fim de semana o Horario de Verão, nas regiões sul, sudeste e centro-oeste. Os relógios devem ser (aliás, já foram) adiantados em 1 hora. Isso todo mundo já sabe. Mas para que serve o horário de verão?

O objetivo principal do horário diferenciado é a economia de energia. Fim de ano é uma das épocas onde o consumo de energia elétrica aumenta, e a época em que a luz do sol está mais intensa. Sendo assim, adiantando o horário se pode aproveitar mais a luz natural.

O horário de verão é muito criticado, princialmente por afetar o organismo dos mais idosos, mas é necessário se pensarmos na quantidade de energia elétrica economizada nesse período. Um exemplo disso: se todos os moradores de Porto Alegre - RS deixarem sua luz apagada por uma hora a mais no dia, a econoimia de energia elétrica beira os 3 milhões de kWh.

Ou seja, o horário de verão incomoda, principalmente para quem sai cedo de casa, mas se pensarmos nos benefícios aos recursos naturais, dá pra encarar melhor o sacríficio.

Que crianças estamos gerando?


@wesleytalaveira - Além de comemorar o dia de Nossa Senhora Aparecida, o Brasil comemora o dia das crianças. Apenas aqui no Brasil, já que o Dia Universal da Criança é dia 20 de novembro, data estabelecida pela ONU. E o que mais se vê e ouve pelas ruas é crianças que pedem presentes. Shoppings lotados. Lojas vendendo como água. Pais gastam o que tem e o que não tem para agradar as crianças.

Vi hoje uma reportagem no SBT Brasil que, apesar de curta, me chamou a atenção. Uma menina mostra suas 7 bonecas Barbie e, ao ser questionada pela repórter, diz que brinca com apenas uma delas. As outras seis foram fruto da impulsividade da menina aliada à falta de um simples não dos pais.

Quando vejo casos como esse (que são mais comuns do que se imagina) penso o seguinte: que crianças estamos formando para o futuro? O que não faltam são pais que não sabem negar nada os filhos. Preferem se endividar a dizer não. Tá, em determinadas situações isso seria louvável, mas quando se trata de futilidades, a coisa muda bastante.

Muitos pais não percebem que, ao dar tudo o que o filho pede, ele não está fazendo um bem ao seui filho. Pelo contrário, está gerando uma pessoa que não conhece dificuldades, que terá problemas de relacionamento no futuro por não ter aprendido a ouvir não.

Que filhos estamos gerando para o mundo?

Pág. 1/2

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub