Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog Novas Ideias

Quem disse que só tem um jeito?

Blog Novas Ideias

Quem disse que só tem um jeito?

Que se dane o Principe William e Kate Middleton




Desde que foi anunciado o casamento do principe William com Kate Middleton, não se fala em outra coisa na TV Brasileira e mundial. Se fala sobre os convidados, quanto será investido, como será o vestido da noiva, as espectativas de William e Kate e blábláblá...

Agora a pergunta que não quer calar? O QUE MUDARÁ NA MINHA E NA SUA VIDA, querido leitor desse blog? Obviamente, nada. Mas a TV faz questão de fazer o estilo site EGO de fazer notícias. Como por exemplo:

Casamento Real: Robert Pattinson assistirá o casamento


Turistas já disputam lugares para assistir ao casamento real


Terra transmite ao vivo o casamento real



E depois desse casamento, oque acontecerá? Você vai arranjar um emprego porque acompanhou desde o começo o principe William?! E você mulher, vai tentar ser uma Kate Middleton e tentar arranjar seu principe encantando? NÃO!


Então levante seu traseiro do sofá e ache alguma coisa pra fazer, por que não vai ser o principe William que irá lhe ajudar.

Quais os limites do humor?



@wesleytalaveira Um esquete do Comédia MTV, exibido há mais ou menos um mês, veio só agora fazer polêmica. O programa parodiava a Casa dos Artistas, do SBT, exibido a vários anos. Chamado de Casa dos Autistas, o esquete exibia artistas imitando autistas em situações constrangedoras, trancados numa casa. O vídeo foi esse (a esquete da Casa dos Autistas vai só até o 04:40):



Eu nem sabia desse vídeo. Só fui saber depois de ler o artigo do Danilo Freire no Papo de Homem, que também não tinha visto e leu no artigo do Jairo Marques, que também não tinha visto, mas ficou sabendo por terceiros e criticou.

Humor é uma coisa complicada. Como disse o próprio Danilo Gentili na entrevista que deu à Marília Gabriela (veja aqui), todo humor é preconceituoso. Não existe o "humor do bem", como queria o babaca do Marco Mion há um tempo atrás. O simples fato de chamar as loiras e os portugueses de burros, os baianos de preguiçosos e os gaúchos de viados - "viado", inclusive, é um termo preconceituoso para "homossexual" - já mostram que muito do que nos faz rir vem carregado de preconceito. Aí alguns perguntam: porque se pode fazer piada com loira e gaúcho, e não se pode fazer piada com portadores de autismo, ou de Alzheimer, e etc?

Por mais que alguns não vão aceitar, vão me chamar de preconceituoso e o cacete a quatro, existem certas formas de preconceito aceitas na sociedade. Dizer que uma loira gruda o relógio no sapato pra estar sempre em cima da hora é algo engraçado, e ninguém, exceto algumas loiras, se incomoda. Todos rimos quando vemos alguém contar que para colocar 20 judeus num fusca é só jogar uma moeda de 50 centavos dentro do carro. Todas essas piadinhas infames são preconceituosas, mas são aceitas. Os objetos das piadas - os gaúchos, baianos, loiras - não se incomodam com tanta raiva. Só se irritam um pouco na hora e pronto, se acalmam assim que a piada perde a graça. Mas a própria sociedade escolheu algumas coisas com as quais não se pode brincar. Portadores de doenças graves e síndromes, por exemplo, são algumas delas. É muito diferente fazer piada com um gordo e fazer piada com um portador de autismo. Por que? O gordo pode se defender. O autista não.

Quem tem um filho autista sabe que lidar com um portador dessa sídrome não tem nada de engraçado. Todos os dias há uma luta para se vencer e cada avanço é comemorado com festa. Daí você liga a TV e vê um grupo de humoristas - ótimos humoristas, diga-se de passagem - fazendo uma imitação bizarra de autistas, batendo em paredes, se rabiscando com batom e se melecando com o recheio de um biscoito. O que vem a mente desse pai / mãe? O filho. Talvez o filho ainda seja assim, ou tenha vencido essa fase, ou ainda não tenha passado por ela, e esse pai, que ligou a TV para descansar a cabeça e rir um pouco acaba por se magoar em ver uma emissora que pertence a um grupo idôneo como o Grupo Abril fazer piada com a luta que eles enfrentam em casa.

Obviamente que a MTV não tinha a intenção de ofender os autistas. Pelo que eu vi no vídeo o objetivo maior, na verdade, era brincar com a mania do Silvio Santos de mudar os horários dos programas sem o menor critério. Mas mesmo assim a emissora fez um pedido de desculpas dizendo que ultrapassou os "limites do humor". E quais são esses limites? Bom, sabe-se que o direito de uma pessoa acaba quando interfere no direito da outra (algo assim, não me recordo literalmente da frase). Antes de fazer piada com qualquer coisa, é muito importante parar pra analisar se o objeto da piada vai poder se defender, caso vier a se ofender. "E a liberdade de expressão?" Ninguém é proibido de fazer humor, pois isso seria censura, mas o bom senso diz que autistas não devem ser objeto de piadas.

Ficou claro?

#MusicaDeDomingo: O Tempo Não Para

Hoje é domingo de páscoa, dia em que os cristãos comemoram a Ressurreição de Jesus Cristo, e os judeus comemoram a saída dos hebreus do Egito antigo, conforme narra o Antigo Testamento. Ambas as comemorações tem algo em comum: relembram um recomeço. E qual é a grande verdade quando se fala em recomeços? "O tempo não para". Recomeçar é levantar e continuar tentando, é saber que "os dados ainda estão rolando".

Nossa sugestão de música de domingo para hoje é o grande hino do recomeço, O Tempo Não Para, escrito pelo grande poeta Cazuza. A propósito, uma Feliz Páscoa para todos os leitores do blog.

O Caso Laura


André Vianco @andrevianco já escreveu 12 livros, todos eles sucessos de vendas e se consagrou entre os grandes nomes das histórias de terror, com seus 7 vampiros portugueses. Isso já seria o suficiente para dizer que ele tem um talento inquestionável com as palavras. Passados 11 anos desde o lançamento de Os Sete, Vianco prova que seu talento continua o mesmo, ao lançar O Caso Laura, agora pela editora Rocco. Acabei de ler o livro ontem e confesso: ainda estou completamente envolvido na história.

O livro conta a história de uma jovem solitária. Laura é uma mulher que teve de aprender a duras penas o significado da palavra viver. Não só aprendeu o que significa, mas aprendeu a lutar pela vida, mesmo tentando por várias vezes o contrário. Sua solidão só não é maior por causa de um amigo misterioso que a aconselha, a conforta e a diz como agir diante dos baques da vida. De seu amigo ela sabe apenas o nome: Miguel. Nada mais que isso.

Do outro lado, um cliente misterioso contrata os serviços de um detetive particular, para descobrir de uma vez por todas quem é esse amigo misterioso de Laura. A partir daí a história toma seu rumo, com histórias paralelas que se cruzam, formando uma história impressionante.

Fazia tempo que não me sentia envolvido por uma historia como me senti com O Caso Laura. O livro é daqueles que faz com que você sinta as emoções que as personagens do livro sentem. Você começa a ler e não consegue parar mais. A cada vez que eu tentava parar de ler para fazer alguma coisa, abria uma concessão pra mim mesmo: "só mais um capítulo e eu paro".

O Caso Laura foge do estilo que Vianco vinha mantendo até aqui em seus livros. Mas foi uma escolha acertada. Pra ser bem direto, é uma das melhores histórias que já li.

Vale a pena ler.

Um outro jeito de ver as coisas


Esse vídeo da jornalista Rachel Sheherazade @rachelsherazade virou TTBr no Twitter durante o Carnaval, mas só agora eu vim ficar sabendo da história, por isso só agora eu coloquei aqui.

Ela dá a visão dela sobre o que o carnaval brasileiro virou. Muita gente pode até não concordar, mas que tem muita verdade nesse texto, isso é fato.


O vídeo fez tanto sucesso que rendeu a ela um contrato no SBT, com direito a ancorar o SBT Brasil, pricipal jornal da emissora, na vaga que hoje é de Carlos nascimento e Karin Bravo.

#MusicaDeDomingo Como la Cigarra - Mercedes Sosa


E para nossa dica de Música de Domingo de hoje temos uma participação especial: a cantora gaúcha Lara Rossato @lararossato é nossa convidada para indicar aqui aos leitores do Blog Novas Ideias uma música de sua preferência. E a escolha dela foi Como La Cigarra, da cantora Maria Elena Walsh e interpretada aqui pela grande dama da música latina Mercedes Sosa. Ela explica a escolha: "escolhi essa música porque ela fala sobre resistência. Ela é perfeita para o domingo pois a letra nos faz refletir sobre a vida, sobre as pessoas que já nos fizeram mal e nos dá força para seguir adiante, seguir cantando como uma cigarra. Então que a semana seja assim, cheia de música, cheia de força. Espero que gostem".

Então fica então a dica de hoje, Como La Cigarra:


Aproveite pra conhecer o novo trabalho da Lara Rossato, Doce, no site oficial dela ou pelo MySpace.

Vamos mudar de assunto, por favor

"Sou gay", diz jogador de vôlei Michael dos Santos

"O jogador do time Vôlei Futuro, Michael dos Santos, assumiu-se gay em entrevista ao site do "Globo Esporte". Alvo de ofensas durante um jogo contra o Sada Cruzeiro, pela semifinais da Superliga Masculina, o atleta lamentou a homofobia da torcida e disse que sua orientação sexual não precisa ser 'comentada'."

Todo mundo já sabe desse ocorrido com esse jogador de volei, que inclusive, joga muito e merece seleção. Mais ninguém sabe (ou sabe e viu no twitter ontem...) O que Rica Perrone, Jornalista esportivo e blogueiro, disse em seu blog, ontem:

"Qualé a novidade em uma torcida chamar um adversário de viado? Qual foi o jogo, dentre os últimos 9 milhões aqui no Brasil, onde a torcida local não chamou o destaque rival de “viado”?Qualé a novidade em uma torcida chamar um adversário de viado? Qual foi o jogo, dentre os últimos 9 milhões aqui no Brasil, onde a torcida local não chamou o destaque rival de “viado”?"

Esse foi apenas um trecho do do que o jornalista/blogueiro disse em seu blog (e a parte mais polêmica, também), mais se quer ver o restante do texto, clique aqui. E que gerou uma enorme polêmica com os homossexuais do Gay Brasil, que com isso, gerou uma conspiração contra o Rica...

Mas aonde quero chegar com esse post? O que quero dizer e perguntar é: "porque gerar uma polêmica dessas quando falam dos homossexuais?". Eu acho muito errado ter preconceito contra gays, negros e outra pessoa qualquer, sim! Mas também acho que ninguém pode calar a opinião de ninguém, como fizeram com Rica Perrone (do mesmo jeito que poderão fazer com esse texto).

Agora sempre que falarem de homossexuais vão mobilizar Deus e o Mundo? Não pode ser assim, pessoal. O mundo não gira ao nosso redor. Se a gente sofre preconceito, a gente tem que mostrar que é maior que isso, e não se passar por coitadinho, e tentar interpretar o que é falado, com mais análise.

Ou seja: NÃO JULGAR ANTES DE SABER.

Aqui Michael se defende da hostilidade que sofreu.

Pág. 1/2

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub